Por maioria de 2/3, Poder Legislativo aprova Projeto de Admissibilidade e processo de impeachment do prefeito de Brumado é aberto(Foto: Ascom | CMB)

O Poder Legislativo de Brumado teve uma sessão histórica na noite desta segunda-feira (06), onde foi votado e aprovado o Projeto de Admissibilidade que dará prosseguimento às denúncias apresentadas contra o prefeito Eduardo Vasconcelos.

Antes da sessão, na parte externa, houve aglomerações de pessoas, que gritavam palavras de ordem contra ou a favor do projeto.

A Casa da Cidadania adotou todas as medidas restritivas e reduziu o número de pessoas que compareceram. De forma democrática os dois grupos, bem divididos, contra e a favor do impeachment, ostentando cartazes e faixas se manifestaram, dando um clima mais tenso à sessão que contou com a presença da Polícia Militar para conter possíveis excessos.

O presidente Léo Vasconcelos consultou os seus pares e ficou decidido que a sessão teria pauta única para discutir e votar o referido projeto.

Após a leitura das denúncias apresentadas, os vereadores defenderam os seus posicionamentos, sob vaias e aplausos dos grupos presentes e, no final, o projeto de admissibilidade foi aprovado por 9 votos a 4, ou seja, 2/3 dos parlamentares como reza o regimento interno.

Diante disso, após a aprovação, foi nomeada a comissão que irá dar prosseguimento às investigações das denúncias, a qual foi escolhida por sorteio ficando como presidente Luiz Carlos Palito, como relator José Carlos de Jonas e como membro ilka Abreu.

O prazo é de 90 dias para aprovação ou não do processo de impeachment do prefeito Eduardo Vasconcelos, que hoje tem minoria na casa e que teve ainda o impedimento do voto do seu filho Dudu Vasconcelos, o qual foi substituído pelo vereador Girson Ledo, que votou a favor da abertura do processo.