Qualidade das obras e Central de Marcação são o mote de novo o embate entre situação e oposição no Legislativo de Brumado(Foto: Ascom | CMB)

Após assumir a liderança do prefeito, o vereador José Santos, o “Santinho” vem exercendo uma postura mais firme no enfrentamento aos constantes ataques da oposição. Na sessão desta segunda-feira (05), isso não foi diferente, o que, inclusive, deve se tornar uma rotina de agora em diante. Presidida pelo vice-presidente José Carlos de Jonas, pois o presidente Léo Vasconcelos estava em viagem, a sessão que teve uma prestação de contas por parte do vice-prefeito e secretário de Esportes, Édio Pereira, sobre as suas ações, a sessão quase estourou o seu horário regimental, justamente por causa do embate entre as duas correntes políticas. Se por um lado, o vereador Zé Ribeiro, líder do PT, foi implacável em suas críticas, por outro “Santinho” foi firme em suas defesas. Os dois pontos principais que foram o mote dos debates foram o questionamento da qualidade das obras que estão sendo realizadas pela administração municipal e a velha cantilena da Central de Marcação, que é um dos grandes desafios da atual gestão, já que constantemente vem sendo alvo de severas críticas por parte da oposição. Segundo Zé Ribeiro, um dos fatos que comprovam a má qualidade dos serviços na área de infraestrutura foi a ruptura de um pontilhão que irá ter que ser reconstruído, como também assim que várias ruas são entregues, elas já apresentam danos e falhas. O líder do prefeito rebateu e garantiu que a responsabilidade social das obras fica por conta das empresas que ganham a licitação e que não existe desperdício de verba pública nesse sentido, o que acabou sendo contestado por Ribeiro que pediu o nome da empresa e a cópia do contrato, para provar a alegação. Outro ponto, que já é uma constância, são as críticas à Central de Marcação, que virou até caso de polícia na semana passada. Em sua explanação, Santinho argumentou que está existindo uma cobertura alta dá atenção básica, o que aumenta e muito a oferta de especialistas, então, devido a isso, a demanda aumenta, pois a atenção básica precisa de exames complementares.